quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Luz e escuridão

    

 Alemanha: Inicio do século 20

            Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com a seguinte pergunta:

"Deus criou tudo que existe?"
Um aluno respondeu valentemente: “Sim, Ele criou”.
“Deus criou tudo?”, perguntou novamente o professor.
"Sim senhor", respondeu o jovem.
O professor continuou, "Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal! Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau."
O jovem ficou calado diante de tal argumento e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito.
Outro estudante levantou a mão e disse:
"Posso fazer uma pergunta, professor?"
"Lógico", foi a resposta
O jovem ficou de pé e perguntou: "Professor, o frio existe?"
"Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?"

O rapaz respondeu: "De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos o frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia. O calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor. Todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor."
"E, existe a escuridão?", continuou o estudante.
O professor respondeu: "Existe".
O estudante respondeu: "Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão não! Até existe o prisma de Nicholls para decompor a luz branca nas várias cores que a compõe, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz.
Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim? Portanto a escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente"
Finalmente, o jovem perguntou ao professor: "Senhor, o mal existe?"
O professor respondeu: “Lógico que existe, como disse desde o começo, é só ler as manchetes: vemos ações terroristas, crimes e violência no mundo o tempo todo”.
E o estudante respondeu: "O mal não existe, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, como nos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz."

Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado.
O diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome. E ele respondeu: “Albert Einstein.”

     

domingo, 12 de dezembro de 2010

VALORIZE O QUE VOCÊ TEM

Sempre que sua mente estiver livre, faça um esforço consciente para concentrar-se no bem que o Todo Poderoso lhe concedeu.

A opinião da Bíblia é que Deus constantemente cria o mundo inteiro e tudo que nele existe para cada indivíduo. Este conceito tem o potencial de proporcionar imenso prazer à pessoa. Pense sobre isso por um momento. O Criador e Provedor do Universo está constantemente criando para você o sol, a lua e todos os outros fenômenos do mundo. Ele está constantemente concedendo vida a você, e a cada segundo Ele lhe concede as suas necessidades.

A cada vez que você sentir prazer, mesmo algo singelo como ganhar um pequeno lucro, sinta-se grato. Todos os dias nós temos numerosas ocasiões como essas que facilmente deixamos de perceber. Elas são lições para ensinar conscientização sobre a Divina Providência.

Aquele que valoriza o que tem, não importa se é muito ou pouco, age como se fosse constantemente a festas. Estará sempre de bom humor. E ao contrário, a pessoa que está sempre concentrada naquilo que os outros possuem e naquilo que lhe falta, sofre o tempo todo.

Você sempre sentirá falta de coisas que gostaria de ter. Isso é inevitável. Se você ficar pensando naquilo que não tem, deixará de apreciar tudo que já tem.

Faça uma lista de coisas que você acha que deixou de valorizar no passado. Tome a resolução de sentir-se grato por aquelas coisas.

Com muita freqüência as pessoas pensam sobre o passado em termos de suas tristezas e problemas. O fato de você estar vivo hoje significa que você conseguiu ter as necessidades básicas até agora. Seja agradecido por isto.

Uma das maiores coisas que alguém pode ter é o presente de filhos e filhas. Os filhos são a maior fonte de prazer, felicidade e satisfação neste mundo. Dão à pessoa força e energia para tolerar as vicissitudes da vida.

Quando alguém está doente, tem um forte desejo de melhorar. Imagina que quando estiver curado sentirá uma felicidade constante. Porém logo depois de estar curado, aceita a boa saúde como algo a que tem direito.

Quando uma camisa cai de um local muito alto, algumas pessoas dizem: “Sou grato por não estar dentro daquela camisa.” À primeira vista, parece uma declaração bem estranha. Porém após alguma reflexão podemos ver que faz sentido. Os seres humanos estão sujeitos a todo tipo de doenças e acidentes. Muitas coisas podem prejudicar uma pessoa. Até alguém que está caminhando sobre um piso plano e sólido pode tropeçar e quebrar algum membro. Quando alguém come, pode engasgar com a comida. Com imaginação você pode pensar em eventos que têm pouca possibilidade de realmente acontecer. Uma pessoa sábia está sempre consciente de sua falta de poder para proteger-se, e percebe quão facilmente pode ser ferida.

Quando observa algo caindo, logo pensa que ele também poderia facilmente cair. Isso serve como lembrete de que deveria ser grato a Deus por guardá-lo e mantê-lo vivo. O principal desejo de todos é levar uma vida feliz. Esta é a motivação por trás de divertimentos como jogos ou música. Por que a arte de sentir alegria quando algo potencialmente prejudicial não acontece deveria ser menor que a arte de apreciar a música? A pessoa que pode sentir-se alegre porque não está doente ou ferida leva uma vida feliz.

Um homem famoso pela sua força, chamado Breibart, enfraqueceu tanto devido a uma doença que tornou-se incapaz de segurar uma caneta com a mão. Na época, um escritor observou: “As mesmas mãos que já foram capazes de entortar barras de ferro agora tremem com uma simples caneta leve.” As pessoas pensam que segurar uma caneta é algo tão simples e natural que nenhuma força é necessária para a tarefa. Somente a força extra especial, elas pensam, é um presente Divino. Na verdade, a força para segurar uma caneta também é um presente Divino, e sem este presente a pessoa seria incapaz de segurar qualquer coisa.

Certo Sábio desenvolveu este tema e disse: “O primeiro homem, Adam, teve de trabalhar muito até ter pão para comer. Foi preciso arar, semear, colher, juntar, debulhar, separar o bom do ruim, moer, peneirar, amassar e assar e somente então conseguiu comer. Eu, no entanto, levanto-me pela manhã e encontro o produto pronto para mim.” Ele continuou: “Quanto trabalho o primeiro homem, Adam, teve até produzir uma roupa para vestir. Ele próprio teve de tosquiar os animais. Depois teve de clarear a lã, penteá-la, fiar e tecer a vestimenta. Eu, no entanto, encontro roupas prontas para vestir sem qualquer dificuldade.”

Este tipo de raciocínio é especialmente importante para alguém que se aborrece facilmente com outras pessoas. Os aborrecimentos que elas lhe causam é o preço que você paga pelos benefícios que recebe. Faça uma longa lista de todas as pessoas que lhe prestam serviços úteis, incluindo operários da indústria de alimentos, construção, editoração, transportes, empregados do departamento sanitário e empresas de serviços.

Faça uma lista de itens disponíveis para seu uso hoje em dia que não existiam há uma centena de anos. Veja como estas coisas o ajudam e tornam a vida mais fácil e mais confortável. Veja alguns exemplos: eletricidade, telefones, refrigeradores, carros, aviões, lâmpadas elétricas, máquinas de lavar, sistema de aquecimento central, elevadores, enlatados e água corrente em casa (isso geralmente é aceito como algo normal, até que surja um problema com o encanamento).

Algumas pessoas se concentram apenas em como estas coisas poderiam ser melhoradas e com quanta freqüência não funcionam tão bem como deveriam.

Se você conseguir imaginar sua vida sem todas estas comodidades, vai valorizar aquilo que tem de tal maneira que levará uma vida de alegria constante. Se você se perdesse num deserto sem água e sem comida e de repente encontrasse um pedaço de pão, apreciaria aquele pão mais do que normalmente apreciaria uma refeição suntuosa.

Como um exercício de apreciação, tente por uma hora sentir-se grato por cada pequena coisa que você fizer. Quando ler as palavras, agradeça por poder enxergar. Quando caminhar, seja agradecido pelo uso dos seus pés. Quando falar, agradeça pela capacidade de se comunicar com os outros. Durante uma hora inteira, não considere tudo que você tem como um direito adquirido. Preste atenção a cada detalhe daquilo que você pode fazer. Quem faz isto diariamente, mesmo que por um curto período de tempo, saberá valorizar muito mais tudo aquilo que faz e as bênçãos infinitas que recebe de Deus.
Chabad