quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

IMAGINE


IMAGINE

Imagine que não há paraíso       
É fácil se você tentar         
Nenhum inferno abaixo de nós 
E acima de você apenas o céu   
Imagine todas as pessoas           
Vivendo para o hoje          
           
Imagine não existir países           
Não é difícil de fazê-lo      
Nada pelo que lutar ou morrer    
E nenhuma religião também      
Imagine todas as pessoas           
Vivendo a vida em paz     
           
Talvez você diga que        
eu sou um sonhador        
Mas não sou o único        
Desejo que um dia
você se junte a nós           
E o mundo, então, será como um só    
           
Imagine não existir posses          
Surpreenderia-me se você conseguisse          
Sem ganância e fome      
Uma irmandade humana
Imagine todas as pessoas           
Compartilhando o mundo
           
Você pode dizer     
Que eu sou um sonhador
Mas não sou o único        
Desejo que um dia
Você se junte a nós          
E o mundo, então, será como um só

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
           

Com toda a certeza John Lennon não foi o melhor exemplo a ser seguido, mas deixou-nos um legado musical e filosófico que até hoje ainda é reconhecido pela maioria dos críticos que o conheceram ou simplesmente admirado por todos nós que víamos nele um ser humano como outro qualquer, sujeito aos mesmos erros e acertos e que passou por esse planeta para cumprir suas provas rumo à ascensão espiritual a que todos estamos destinados, mas que tinha um sonho: o de que fossemos como um só povo, uma só nação e pudéssemos viver em paz.
Viver em um mundo onde as pessoas se preocupem mais umas com as outras, independente de suas formas de buscar e adorar ao Criador de todas as coisas não deve ser entendido como uma realização utópica, mas como uma realidade possível, desde que cada um de nós esteja disposto a fazer a sua parte nesse processo evolutivo.
Infelizmente, John foi vítima da própria violência que combatia. Pacifista por natureza não conseguia enxergar no seu próximo uma ameaça aparente, mas sempre um igual, um semelhante e por essa razão se tornou tão vulnerável ao ataque insano de alguém que dizendo amá-lo, preferiu tirar-lhe a vida terrena a compartilhar o objeto de seu amor com as outras criaturas.
Hoje nos contentamos com as velhas canções que ele compôs e que teimam em não permanecer com suas idades iniciais, mas querem estar sempre representando o hoje, pois as letras por ele escritas ainda repercutem em nossos ouvidos e corações como se as tivéssemos ouvindo pela primeira vez, causando-nos o mesmo impacto e transportando-nos para os mesmos lugares e situações de outrora.
Vamos imaginar um mundo de paz e harmonia, mas mais que isso, procure tornar realidade o “sonho” desse grande “sonhador”, que com toda certeza está espalhando seu otimismo a todos que o cercam no mundo espiritual, esperando o momento do seu retorno a esse planeta ou quem sabe aguardando tão-somente a hora de gritar com toda a humanidade: ENFIM A PAZ!
Muita paz a todos!
Ben Baruch

Nenhum comentário:

Postar um comentário