terça-feira, 28 de agosto de 2012

Oração. Um convite irresistível!



Oração. Um convite irresistível!

Muitas vezes andamos por este mundo sem saber ao certo o que procuramos.

Para alguns, apesar de a providência Divina os abençoar com um lar abastado, onde as provisões materiais são abundantes e todos ao seu redor se mostrem felizes, muitos se consideram infelizes, acreditando que algo ainda está faltando e não sabem como explicar o que acontece em seu interior que os leva a se sentirem assim.
Outros, todavia, embora levem uma vida humilde e cercada de dificuldades, que encontram no lar a tranquilidade que causaria inveja a muitos, inexplicavelmente sentem-se infelizes. Muito embora todos à sua volta lhes mostrem o quanto são abençoados por Deus, o fato de não desfrutarem do conforto e das facilidades que a vida moderna propícia leva-os a entender que se tivessem um poder aquisitivo maior poderiam considerar-se plenamente felizes.
Seres humanos... Como somos contraditórios em nossos sentimentos: Se temos muito, reclamamos... Se temos pouco, reclamamos ainda mais...
Não são poucas as pessoas que, diante das experiências que a vida nos concede, não conseguem, ao deitar em seus leitos, recostar a cabeça no travesseiro e simplesmente descansar das tarefas cotidianas. Suas mentes não param. Buscam forças e respostas em tudo que as cercam e se esquecem de que na maioria das vezes a solução não está fora, mas dentro delas mesmas e que para alcançar a paz que tanto desejam necessitam apenas e tão somente buscar a presença do Criador e expor-lhe o que tanto as atormenta.


Moisés, o grande libertador e legislador hebreu é um grande exemplo da necessidade que temos de buscar a Deus nos momentos de lutas e incertezas.
Durante o período em que viveu no palácio real do Egito, desfrutou do conforto e das facilidades materiais por ter sido criado como filho da filha de Faraó. Tão logo se rebelou contra o sistema político adotado pelo monarca, precisou fugir para salvar sua própria vida e isso fez com que passasse por extremas dificuldades, que alteraram de forma significativa os próximos oitenta anos que viveu entre nós.
Necessitou fugir da presença de seus irmãos hebreus e refugiar-se por quarenta anos até que fosse alcançado pela força do Amor Divino que viu nele um ser humano há quem poderia confiar uma grande tarefa: Libertar o Seu povo das garras de Faraó e transformá-lo em uma nação de reis e sacerdotes que levaria o Seu Nome aos quatro cantos da Terra e assim O fizesse conhecido por todos.
Por outros quarenta anos, através da oração e da certeza de que Deus não o desampararia em tempo algum, transformou não apenas o destino de todos aqueles que o seguiam, mas também o rumo da história de um povo e através dele o de toda Humanidade.
Cremos que o convite que Moisés nos faz para nos sentirmos transformados e abençoados pela presença e provisão Divina é criarmos em nós o hábito de falar com o Senhor; de estabelecer um momento para nos aproximarmos dEle através da oração.
Ele está sempre com os braços abertos esperando a nossa aproximação. O profeta Jeremias diz que Ele assim age porque nos ama: “De longe se me deixou ver o SENHOR, dizendo: Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí.” (Jr 31.3)
Ele nos atrai porque deseja estabelecer conosco uma relação não apenas entre Criador e criatura, mas acima de tudo entre Pai e filho. E essa comunicação se faz através da Oração.
O convite é para utilizarmos esse recurso em quaisquer situações de nossa vida, quer estejamos felizes ou não.
Quando a infelicidade ou a dificuldade bater à sua porta e você se sentir impotente e desmotivado, ore a Deus pedindo-lhe a proteção e o amparo de que necessita para se fortalecer e seguir adiante.
Quando injustamente te ferirem com palavras ásperas e ofensivas, ampara-te na oração e peça ao Todo-Poderoso que lhe conceda o amor e a força necessária para superar tão duros momentos que também atingem outros que nos cercam e que tantas vezes, fechados em nós mesmos, nem percebemos.
Quando a perda de um ente querido ou de um grande amigo estiver sufocando a sua alma e as lágrimas derramadas não conseguirem produzir a calma e a certeza de que a vida continua e que um dia vocês se reencontrarão, ore e peça que Ele reconforte o seu coração, te dando a certeza de que a vida continua após a morte do corpo físico e que em breve poderás reencontrá-los e regozijar-se com eles na presença do nosso Deus.
Quando, apesar do desejo sincero de ajudar aos que mais necessitam, quer seja através de bens materiais, palavras de estimulo ou simplesmente oferecendo um ombro amigo e ouvidos atentos e solidários, os outros vejam neste ato uma maneira de condená-lo por sua suposta intromissão, não esmoreça ou interrompa a oportunidade que lhe foi oferecida pelo próprio Criador, mas ore, pedindo a Ele que lhe dê forças para compreender e amor para continuar trabalhando na construção do bem, pois muitas vidas poderão estar dependendo desta decisão para transformarem suas vidas.
Se a oportunidade de servir e demonstrar o amor de Deus aos semelhantes surgir à sua frente, agarre-a com todas as suas forças e faça o que estiver ao seu alcance para executá-la, pois, quem sabe, o mundo inteiro espera ansiosamente por esse momento para ser transformado. Por essa razão nunca desista de praticar o bem, nunca perca a oportunidade de auxiliar o seu próximo.
Quando as lutas do caminho estiverem te enfraquecendo a alma e te levando ao desespero e ao abandono, não se entregue a esse sentimento doentio, mas resista firmemente e ore a Deus, buscando nEle a razão maior de sua existência. Ele nunca desampara os que O buscam.
Quando tudo estiver correndo bem e tudo à sua volta for motivo de alegria, ore e agradeça ao Senhor por tamanhas dádivas, pedindo a Ele sabedoria e humildade para que as bênçãos concedidas não se transformem em pedras de tropeço em sua vida.
Quando os irmãos mais necessitados que compartilhem a tua mesa te honrarem por tudo que fazes, não se engrandeça por isso, mas ora e agradeça ao Senhor pela oportunidade que Ele te concedeu de espalhar o bem sem desejar recompensa.
Não importa se lhe damos o nome de Tefilá, prece, reza ou oração, o que realmente importa é falar com Deus, expondo nossos sentimentos e inquietações mais intimas, nossas dúvidas e incertezas, nosso agradecimento pelo cuidado que tem para conosco, pelas possibilidades que nos concedeu de um dia havê-Lo encontrado e ser atendido por Ele.
Aceitemos o convite que Moisés nos faz para orarmos em todos os momentos e situações e perceberemos o quanto isso nos ajudará a entender não apenas a razão de nossas vidas, mas nos ensinará ainda, a compreender e a amar ainda mais os nossos semelhantes.



Muita paz a todos!

(בן  ברוך) Ben Baruch

2 comentários:

  1. Que belo post Baruch!

    Parabéns, foi muito elucidativo e especialmente espiritual!

    Lembrando-nos do poder da oração. A qual certamente nos aproximará de nosso Criador e, consequentemente, sentiremos maior conforto espiritual, independente da situação fisico-emocional-financeira que estejamos atravessando.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Querida Solange, paz!
    A oração tem o poder de nos transformar sempre que dela fazemos uso. Que possamos aprender a fazer de nossas orações um momento especial de agradecimento ao Eterno por todas as bênçãos que temos recebido, muitas vezes, sem percebermos. O cuidado do Senhor é contínuo em nossas vidas.
    Muita paz!

    ResponderExcluir